30 de mai de 2016

"Me falta cigarro"
escreve um amigo
Me falta você
penso comigo
"Me abraça"
ouvi quando disse
abracei
sem te prender no ninho
To paspalha
sorrindo, alto
flutuante no meu imaginário
gargalhando, lembrando
dos olhos grudados
no meu...
_ _ _ _ _

Não te escrevo
Fito as fotos
Falho nos atos
Fecho os olhos
atônita e leve
Levo seu rosto
onde quer que vente
Volta, presença
fincada no ventre
Vejo você
entre as memórias
sábado foi
domingo passou
segunda já é
Quando nus sexta-seremos novamente?

Carola Bitencourt
30/05/2016

7 de mai de 2016

Dois dias
três anedotas tardias
anotadas em papel de pão
Enrolado o fumo
mofado o rolo escrito
crivo de credo
lenda rezada e
o viés contrário da ida
Vida de véu desanuviado
desvio vidrado
sem reflexo
enxofre queimado
rima no verso
Na capa as aspas apesar
de exasperado o salto
escracho do sexo forte
fonte transgressa
expresso norte
hora vinda do leste
A fome repercutida em tambor
de onde
Dessa descida decidida
saída de urgência
vigência de vigia acordado
no branco da noite
de fato foi-se açoite
maciço mais sorte que vazar as asas
pelo céu vazio
rasgado no interno do osso
sozinho no cálculo
servido no copo
engolido do cálice pra laringe
de longe um ponto eco
do pouco o outro que nasce
Nessa sabida transpiração
inspirada por carbônico expirado
por tantas contas somadas.
Onda andada em zigue-zague
...
E continua

Carola Bitencourt
06/05/2016