27 de fev de 2013


Veio aquela voz
que diz não;
e na cabeça soou: agora!
quando tudo parece sem efeito
o suspeito satisfeito te retrai na foz
faz tanta corda sem preço
que toda razão de ser se dá esquecida
nessa regurgitada antropofagia
se afasta a doce alegria
de nascer fiada alergia
e o que se tem é
nada mais que trocentas mornas filosofias
do que se deve, se teme, ou se deveria.

Carola Bitencourt
27/02/2013

1 de fev de 2013

Pela pele pulo
pala de apelo em lupa
grito sussurro surdo
Falo a falta que faz
Por poder pedir a poda
de mais uma mina irmã
explodindo ao explorar explicação
Ouço e caçôo dos conselhos
que espelhos perplexos perfilam
entupindo meu tímpano
me dando o dano da anedota:
"Creia, Carola, querida
existe um exigente gentil
pra parar sua procura!"
Dizem desdenhando condizentes
com o calo que cala o colo.
Minha mania maneirada
contendo o canto tencionado
nessa sanada sede sedentária.
Repito o pitaco partido:
Serei sã certamente
em manhã sem mãe ou manha
só sentirei sátira soltada
na cara corada no couro colorido
de dúvida vivida dividida.
Pretendo perder o preterido
enquanto o tanto for taciturno
Prefiro furar-me a ferida
do que parafrasear aparência pró-ferida.

Mantenham-me minada, amigos
ao menos nos menores momentos
Tenho tido tantos motivos
pra travar trato em termos tristes
que se decidisse dizer,
dissuadiria sem suar
sua sapiência paciente.
A um dia de disritmia distante,
tenho direito, de derreter tardia.

Farei força focada em ceifar
a fonte de aflição infinda.
Voltarei voraz valendo a levada
de mãos amadas dadas a mim
Hoje, hajam com jeito
meu sorriso sairá com sorte
duradouro, divertido e verdadeiro!

Carola Bitencourt
01/02/2013
Não é fácil, mas acredito que seja o melhor.
Tento sempre perceber onde me deixo
pra buscar de volta quando preciso.
Gostei tanto que ainda dói,
mas não me prendo ao pouco,
se não houver retorno
me refaço outra vez e entendo
que a gente poderia ser maior
se não quisesse a perfeição.
recados sem nome não me são endereçados,
recebo somente o que me tem como postado.
Adoraria aceitar o que vc diz trazer.
É uma pena não sentir a sua pele,
mas adelle já me deu lição pra aprender.

Carola Bitencoourt
01/02/2013