19 de jul de 2012

Esses roucos rasgam a alma
trazem da garganta a ranhura esquecida
na esperança a rima disfarçada de dor
Afeição nas letras, canções
emocionadas poesias descritas
no traste do braço traçado de notas
embrulhando os tímpanos com seda chinesa
criando azeite pra delícia da língua
Música, mística miscelânea
outras vozes que retraem as vértebras
se quebram em teclas na tela.
Eu vi, estou ouvindo.

Carola Bitencourt
19/07/2012
Seal e Dave Matthews cantarem Beattles e John Lenon

17 de jul de 2012

São tantos elos
egos "àflora"
produtos do eco eco,
Eco do mesmo cego
coração,
porão das armas
os cabelos tão gritantes
quanto as vozes
e luzes ofuscantes
reluzionando
um assento circunflexo
Paro por um instante
e temo, o tentar
de parar a rima
pois da velocidade que quero
sai a vontade de
cair, de um alto
pra cima.
Observo as palmas
à frente
dizer atriz efêmera
ais fêmeas
o calor de palma batida
em coro.
A jogada de rosa
no fim do presságio
do-in do aplauso.

Carola Bitencourt
ainda era carol
14/11/2006