23 de mar de 2011

Quero tanto abraço
quanto braço forte,
tenho vontade de laço
do jeito que vejo o front.
Sem concha até justifico.
Mas, sem cumplicidade
busco mais longe.
Não deixe de ser o que me arrebata
ou desata o nó do pingo d’água
na fonte!
Diga qualquer coisa que doa,
só não me doe aos montes.
na seca sou molho de cheiro verde
no úmido sou gado berrante
Quando minha sede se esvai
é quando sai meu grito dissonante
Sinto saudade sua
mesmo se estou do lado
por isso não ignore minha ira
Ela é tudo que tenho
quando não te alcanço.

Carola Bitencourt

24/03/2011